Sobre mim

Advocacia Cível e Empresarial, especializada em Franchising (franquias)
Advogada. Direito Civil e Empresarial. Especialista em franchising (franquias). Contratos.

Verificações

Daiana Takeshita, Advogado
Daiana Takeshita
OAB 321.381/SP VERIFICADO
O Jusbrasil confirmou que esta OAB é autêntica
PRO
Desde Agosto de 2019

Principais áreas de atuação

Direito do Consumidor, 14%
Direito do Trabalho, 14%
Contratos, 14%
Direito Empresarial, 14%
Outras, 44%

Primeira Impressão

(19)
(19)

19 avaliações ao primeiro contato

Mais avaliações

Recomendações

(1)
Emerson Dias Levandoski, Advogado
Emerson Dias Levandoski
Comentário · há 2 anos
Divirjo dos meus colegas que comentaram até agora. Os advogados devem se mobilizar contra essas regras arcaicas da OAB. Elas devem se modernizar para se adequar ao nosso paradigma atual. Lógico! Porém, vejo como abusivo o modo como o colega que defende o Lula expôs o seu escritório com um "enorme banner" com o nome do seu escritório, inclusive em quadriculados estrategicamente posicionados para serem flagrados pelas lentes das câmeras de TV e Jornal impresso, tal como se tudo fosse uma trivial coletiva de imprensa de um grande time de futebol que mostra como pano de fundo aquela dezena de patrocinadores. Coisa típica do "nosso mundo da bolinha". A advocacia não pode também tolerar esse tipo de exagero e já imaginou onde isso iria parar? Vejo como uma banalização da classe o fato de querer igualá-la ao meio empresarial, sem atentar-se para as grandes diferenças entre ambas. Um escritório de advocacia exige sim conhecimentos que são comuns ao empresariado. Mas, isso não faz do advogado um empresário quando do exercício do seu metiê jurídico. Nós, enquanto advogados não vendemos um produto e devemos primar pela discrição. O mesmo acontece com os médicos. E deve ser assim! Já imaginou que trágico-cômico seria o comercial do advogado ultra moderno e liberal com o seu marketing anunciando seus serviços como quem vende limão na feira? E não, não tenho nada contra o vendedor de limão da feira. Adoro limões e feiras. Mas, nós advogados não somos feirantes e precisamos zelar pela discrição. Meu discurso é arcaico? Não acho! Acho sim que devemos modernizar, mas sem esse raciocínio “ultra liberal” de marketing estilo empresarial. O marketing empresarial funciona bem para empresas e o marketing do advogado funciona bem para este, de modo discreto e elegante. Porém, já que muitos fazem uma analogia ao mundo empresarial, pense comigo: Qual a razão pela qual as pessoas têm uma determinada noção de preço e importância de umas marcas mais “nobres” sobre outras, e agora analise o modo como essas empresas são discretas no seu marketing. Tudo é questão de engajamento e estratégia de posicionamento, pensamentos também empresariais aos adeptos da analogia. Afinal, uma classe de profissionais que deseja se levar a sério não pode tolerar abusos no seu marketing a ponto de igualá-la com qualquer comércio. Portanto, vejo que as regras de marketing na advocacia devem se atualizar, mas não a ponto de tolerar um enorme banner em uma coletiva de imprensa, já que isso é típico de ações de empresas que visam atingir massas, e o valor do advogado não deve estar atrelado na captação de clientes em bloco, como uma empresa de refrigerantes ou uma rede de "fast food" faz, já que isso avilta a classe.

Perfis que segue

(40)
Carregando

Seguidores

(27)
Carregando

Tópicos de interesse

(35)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres
Fale agora com Daiana
(11) 98148-...
Ver telefone
(11) 3485-...
Ver telefone
Rua Apucarana 513, Tatuapé - São Paulo (SP) - 03311000

Daiana Takeshita

Rua Apucarana 513, Tatuapé - São Paulo (SP) - 03311-000

Entrar em contato